sábado, 4 de julho de 2015

Para todas as turmas: o Estandarte de Ur em detalhes

Estandarte de Ur: o retrato de uma sociedade urbana

  Na página 59 do livro didático, ao analisar uma peça de madeira de cerca de cinco mil anos (!!!), com apenas 47cm x 20cm, toda decorada com figuras feitas de concha e lazulita (um mineral de azul intenso) e encontrada no atual Iraque, você vai obter várias informações sobre a sociedade de Uruma das primeiras cidades do planeta.  

   Para facilitar a sua vida, posto abaixo as imagens da frente e do verso da peça para que você possa aproveitá-la melhor (ao clicar nas imagens, você poderá vê-las em detalhes)

   Em seguida, um mapa para que você veja onde fica o Iraque. Como disse acima, a cidade de Ur ficava onde hoje está esse país. Para saber a localização exata dessa cidade, basta ver o mapa da página 71 do livro didático.



Fonte: DOMINGUES, Joelza Ester. História em documento: imagem e texto. São Paulo: FTD, 2006, p. 59



Fonte: www.google.com.br

Cópias coloridas das páginas do capítulo 4 para a 602

 






Fonte: DOMINGUES, Joelza Ester. História em documento: imagem e texto. São Paulo: FTD, 2006


quinta-feira, 2 de julho de 2015

Mudanças na aldeia neolítica - 5ª edição adaptada

Na semana passada (com as turmas de terça-feira), vimos -- e veremos amanhã, com as de quinta-feira -- que, apesar de normalmente termos a escrita como marco divisório entre Pré-História e História, essa transição é, na verdade, um processo, constituído por vários elementos, que levou à formação da cidade.


      Foram muitas as inovações que mudaram algumas aldeias neolíticas, que acabaram por não ser mais exclusivamente agrícolas e se encaminharam para  uma vida cada vez mais urbana. 

      aumento da populaçãonecessidade de uma reserva de alimentos para os momentos de escassez (atendida com a produção do excedente), as novas técnicas e instrumentos (canais de irrigaçãoaradorodatração animalcarroçaroda de oleirobarco a vela), surgimento do trabalho especializado (carpinteiroceramistatecelão, comerciante, escriba, ferreiro, soldadoaparecimento do comérciocriação da escrita e de um sistema de contagem e de medida são alguns exemplos dessas inovações. 

    Abaixo, temos imagens de algumas novidades neolíticas presentes ainda nos dias atuais: 

RODA DE OLEIRO

Site da imagem: pt.dreamstime.com


ARADO A TRAÇÃO ANIMAL


Site da imagem: culinariaeduca.blogspot.com
  

CANAIS DE IRRIGAÇÃO

Site da imagem: tiosam.org


E, NAS POSTAGENS ABAIXO DESTA, TEMOS DOIS VÍDEOS QUE MOSTRAM O FUNCIONAMENTO DE UM ARADO A TRAÇÃO ANIMAL E DE UMA RODA DE OLEIRO.

ASSISTA AOS VÍDEOS E DEPOIS ME CONTE O QUE ACHOU! ;)


segunda-feira, 22 de junho de 2015

Informações sobre o Trabalho em Grupo do 2º trimestre: "As Pesquisas Arqueológicas no Brasil"

      

   O trabalho é em dupla, feito nas aulas de Informática Educativa a partir desta semana, sobre um dos temas abaixo: 
  • As pesquisas sobre Luzia e seu povo - Lagoa Santa / MG
  • As pesquisas no Parque Nacional Serra da Capivara - São Raimundo Nonato / PI
  • As pesquisas sobre os sambaquis - litoral / RJ 


    A dupla deve criar um painel virtual sobre o tema escolhido contendo os seguintes elementos:

  • o mapa do Brasil e a localização do(s) sítio(s) arqueológico(s) - incluindo o nome da cidade e do estado
  • imagens do que foi encontrado assim como do(s) próprio(s) sítio(s) arqueológico(s) - no mínimo, seis imagens
  • curiosidades: o que tem de mais interessante neste(s) sítio(s); que novidades foram descobertas 
  • a datação do(s) sítio(s) arqueológico(s)
  • links para os sites que possuem informações sobre o(s) sítio(s) arqueológico(s)

Abaixo, seguem as postagens do blog sobre cada tema.
(Atenção: só podem ser utilizadas para pesquisa postagens aqui do blog!)

- As pesquisas sobre Luzia e seu povo:
As pesquisas no Parque Nacional Serra da Capivara:

Imagens: Anna Clara Alves, fumdham.gov.br e museusdorio.com.br

domingo, 21 de junho de 2015

Ainda mais sambaquis... Dessa vez, em Rio das Ostras/RJ

   





   Conheça agora o Museu de Arqueologia Sambaqui da Tarioba, "um dos poucos museus de arqueologia 'in situ' do Brasil, ou seja, o material que está exposto permanece da forma como foi encontrado. O Sítio Arqueológico foi mapeado em 1967 por pesquisadores do Instituto de Arqueologia Brasileira que realizavam o Programa Litoral Fluminense, no âmbito do projeto maior denominado Programa Nacional de Pesquisas Arqueológicas (PRONAPA) patrocinado pelo Smithsonian Institution e realizado com autorização e apoio do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN)."


           Para ir até a página sobre esse museu, basta clicar AQUI

Imagens: www.museusdorio.com.br

Você sabia que há muitos sambaquis bem pertinho de nós?

    




  Além do sambaqui recentemente descoberto durante as obras no estacionamento do Aeroporto Internacional Tom Jobim (Descoberta de sambaqui no Galeão traz novos elementos para compreensão da pré-história carioca) e do visitado no ano passado pelos alunos que vieram do Pedrinho do Engenho Novo (no Museu Vivo do São Bento, em Duque de Caxias), há outros também pertinho de nós e há muito tempo são visitados por muita gente. Você sabia disso? Pois é. Clique AQUI e conheça o Museu do Sambaqui da Beirada, que fica em Saquarema.  

   Clique também no link O Saquá - O jornal de Saquarema  e descubra que nesta cidade do litoral do nosso estado há ainda outros museus a céu aberto dedicados ao tema.  

Imagens: www.mapadecultura.rj.gov.br

As pesquisas arqueológicas no Brasil - OS SAMBAQUIS

Sambaqui localizado no Rio de Janeiro (Angra dos Reis)
(Foto: Divulgação/CNPq) 

Sambaqui em Santa Catarina
(Foto: Divulgação/CNPq)


     Outro assunto estudado ontem foram os vestígios deixados por grupos de pescadores-coletores dos litorais sudeste e sul do país. Vimos que os sambaquis ("colina de concha", em tupi) são os locais onde estes vestígios são encontrados

    Para saber mais sobre os sambaquis, clique no link abaixo:
Mundo Estranho - O que são sambaquis?

    

Site das imagens: arquivosdoinsolito.blogspot.com

FOLHA DE S. PAULO: No Piauí, Serra da Capivara guarda o maior tesouro arqueológico do Brasil

A Pedra Furada, que tem sua cavidade devido à ação do vento e da chuva


   "Estudos apontam a presença do homem há cerca de 50 mil anos. Os vestígios são resultado de escavações lideradas pela arqueóloga Niède Guidon na década de 70, quando foram encontradas ferramentas que evidenciaram a presença mais antiga do homem nas Américas." RAFAEL MOSNA - ENVIADO ESPECIAL A SÃO RAIMUNDO NONATO (PI)

Para ler a matéria completa, de 09/05/2013, basta clicar AQUI.

Ainda sobre a Serra da Capivara, clique:

E mais:


Site da imagem: www1.folha.uol.com.br