segunda-feira, 8 de maio de 2017

Vídeo: "Vida Medieval" - E aí, quer saber, MESMO, como era a vida na Europa medieval?

 No especial Vida Medieval, do History Channel, o historiador e especialista em armas Mike Loades nos conduz através dessa época que vimos tantas vezes, desde crianças -- você, assim como eu --, repleta de lendas, cavaleiros, castelos, justas, batalhas heroicas... Mas que também é de grandes construçõesmudanças e inovações. Uma época de desafios muitas vezes nossos velhos conhecidos, contudo com soluções, certamente, muito diferentes das atuais. Mais ainda que nas aulas, encare esse programa como uma jornada para desvendar esse tal mundo medievaltão distante de nóstanto no tempoquanto no espaço

   Acompanhe a reconstrução da vida cotidiana de pessoas comuns, desde coisas bem simples até outras espetaculares, mas que Loades promete ser tudo 100% autêntico... O recorte no tempo escolhido é entre 1200 e 1300, o auge do período, no qual ele e mais um grupo de amigos procuram recriar...
  •  como era o treinamento de um soldado, ou melhor, de um nobre guerreiro cavaleiro
  • construção de um castelo em tamanho natural, com materiais e técnicas exata e unicamente como as da época;
  • caça como uma paixão da nobreza, um evento ritualizado, de status elevado, um exercício militar: "uma verdadeira metáfora para a guerra", segundo Loades. E ainda, a falcoaria, uma paixão de Eduardo III, e os direitos de caça da nobreza (o que restava, então, às "pessoas comuns"?);
  • como era a alimentação de cada grupo e como proceder com elegância à mesa (Sabia que havia o jeito certo de se comer com os dedinhos? Os "dedos de cortesia"... É, pois é...);
  • no mundo dominado pela agricultura, como era a criação de animais -- leitões e gansos, por exemplo;
  • as práticas de higiene: como eram as receitas de sabão para a lavagem de roupas e de sabonete para o corpo. E escova de dentes, havia? Sim... E pasta de dentes também... E você também verá a função de um colar de contas feitas com ervas aromáticas;
  • medicina e o porquê das tão comuns sangrias, quando, então, se acreditava que a saúde tinha relação com quatro fluídos corporais, os chamados humores. E a doença que nada na época era o bastante para derrotá-la e que levou à morte metade da população europeia em meados do séulo XIV: a peste negra, que deixava o corpo do doente coberto por caroços escuros e fedorentos... E os médicos da peste? Sua figura dava tanto medo quanto a doença... Aliás, já solto o spoiller de que de nada adiantava, pois a tentativa de cura da peste foi um dos piores fracassos da medicina medieval;
  • as máquinas de guerra medievais: como funcionavam as catapultas de contrapeso, conhecidas como "mauvais voisins" (maus vizinhos... Será por quê?), que podiam até ser usadas como armas biológicas ou armas de terror... Ué, como assim? Pois é, assista ao vídeo... Ah, você também verá que havia técnicas para lançar as flechas através das seteiras e a importância, fundamental, da existência de poços artesianos no interior das muralhas do castelo durante o tempo que pudesse durar o cerco;
  • por fim, o surgimento das primeiras armas de fogo -- que na dublagem aparece apenas como "arma", sem especificação, pois em inglês usa-se apenas "gun" para esse tipo de armamento. E o interessante é que quem as utilizava não era considerado cavaleiro (e um cavaleiro seria severamente punido se o fizesse!), pois a este, um nobre, cabiam apenas espadas, lanças e flechas... Mas, enfim, estava chegada a sua hora. Começava a era da artilharia.

E, agora, 

BOA VIAGEM!!!
   

History Channel: Vida Medieval 


quarta-feira, 3 de maio de 2017

Curiosidades sobre o Coliseu


Imagem: historiazine.com 
  "Anfiteatro Flaviano teria o nome de 'Coliseu' inspirado no Colosso de Nero, uma estátua de cerca de 35 metros de altura que existia nas proximidades. Foi construído entre os anos 70 e 90 da 'Era Cristã' e o imperador que deu início à construção foi o Vespasiano.
  Seu filho, Tito, no ano de 79, inaugurou o Coliseu ainda inacabado — da mesma forma que certos governantes inauguram obras públicas hoje em dia — pois no ano 80 aconteceriam os primeiros jogos no local.
  Roma tinha acabado de passar por uma erupção do Vesúvio, um surto de peste e um incêndio que destruiu muitas construções pela cidade. Tito teria ordenado os jogos para acalmar e distrair a população..."
Para continuar lendo, basta ir ao site HISTORIAZINE clicando AQUI

AH, QUER SABER AINDA MAIS?
  Então, clique AQUI e vá ao site Viagem e Arquitetura e leia a matéria "7 incríveis fatos sobre o Coliseu Romano que você precisa conhecer"
  E se quiser ir ao site oficial do Coliseu (THE COLOSSEVM), clique AQUI. É tudo super detalhado e a gente até fica perdido com tantas possibilidades de pesquisa... Só que há somente duas opções de idioma: o italiano e o inglês, ok? 

Para quem quiser muitos mais detalhes sobre a história de Roma na Antiguidade...

   Estes vídeos, do Novo Telecurso Ensino Médio, da Rede Globo, são a respeito do povo que dominou o Mundo Antigo, os romanos, e de suas questões culturais e políticas que ajudaram a moldar o mundo de hoje. Trazem desde o início de sua história (quando ainda eram governados por reis), a sua sociedade, formada pelos patríciosplebeus e escravos -- como vimos desde a nossa primeira aula do ano -- e suas muitas, muitas guerras: as tais guerras de conquista... Afinal, Roma, em sua expansão territorial, apesar das vitórias nas guerras, conseguiu também muitos problemas...  

Primeira parte:



Segunda parte:




   Até aqui, vimos que a República Romana foi um período de muitas conquistas territoriais, mas também de muitos conflitos sociaispatrícios cada vez mais ricos; plebeus cada vez mais pobres; escravos cada vez mais e mais numerosos -- necessáriospolítica do "pão e circo" para contornar a vida miserável da maioria dos plebeus e disputas entre os generais por mais poder político foram a tônica dos anos finais da república.


   Sobre este momento da história de Roma, assista ao vídeo abaixo. 



E agora, por fim, temos as crises do século III e a queda do Império Romano do Ocidente:



A lenda da fundação de Roma

amamentando os gêmeos Rômulo e Remo
Site da imagem: ceiauff.wordpress.com


Sabia que a fundação de Roma teria se dado após o fim da famosa Guerra de Troia, com a fuga do príncipe troiano Eneias para a Península Itálica, após a destruição de sua cidade? Pois é... 

Não falei que, vendo Roma, tudo o que você estudou no sexto ano acabaria se encontrando?

Não à toa, há um ditado: "Todos os caminhos levam à Roma!
Bom, mas aí já entraríamos em outras histórias...



E, então, já ouviu falar dos gêmeos Rômulo e Remo?

Quer conhecer a lenda da fundação de Roma?

É só assistir ao vídeo abaixo:





sexta-feira, 3 de março de 2017

ROTEIRO DE ESTUDO PARA A PROVA DE 09/03 - 3ª Certificação de 2016

EUROPA  

• A Reconquista e a formação de Portugal
(Folha 4: A RECONQUISTA E A FORMAÇÃO DE PORTUGAL)

• A Revolução de Avis (Folha 5: A REVOLUÇÃO DE AVIS)
- a consolidação da aliança do rei com a burguesia

( Quanto a estes dois primeiros itens, Livro Didático: Cap. 9, módulos I, II e III – p 128 a p 133  →→→ Porém, opte por estudar pela avaliação do 2º trimestre)

•A expansão comercial - As Grandes Navegações  
- o pioneirismo português
- Ásia, África e América integradas ao sistema comercial europeu
- o etnocentrismo europeu
- uma nova visão de mundo: do homem sobre si mesmo e sobre o mundo - o antropocentrismo

( Quanto a este terceiro item, Livro Didático: Cap. 10, módulos I, II e III – p 142 a p 147  →→→ Porém, opte por estudar pela avaliação do 2º trimestre)

• A formação das Monarquias Nacionais (Folha 6: A FORMAÇÃO DOS ESTADOS NACIONAIS + Livro Didático: Cap. 15)
 - o absolutismo: "O Estado sou Eu" (módulo I – p 218 e p 219)
- a sociedade no período absolutista (módulo III – p 222 e p 223)
- a economia: as práticas mercantilistas (módulo IV – p 224 e p 225)
o MERCANTILISMO:  a política econômica do absolutismo
 o protecionismo e a intervenção do governo na economia
o metalismo
a balança comercial favorável
o colonialismo: a exploração de colônias; o pacto colonial (o monopólio da metrópole sobre o comércio colonial); os conceitos de metrópole e colônia
 

BRASIL

• O Brasil antes dos portugueses (Livro Didático: Cap. 11,  módulo III – p 158 e 159)
- os portugueses na terra do pau brasil: 1500-1530  (Livro, Cap. 11,  módulo IV – p 160 e 161)
- os indígenas e a chegada dos primeiros europeus (Livro, Cap. 11,  módulo IV– p 160 e 161)

• O início da colonização (Livro Didático: Cap.12, módulo I  p 172 e p 173 )
- A luta pelo domínio do território  (Livro Didático: Cap.12, módulo II  p 174 e p 175 )
- Os indígenas entre a cruz e a espada  (Livro Didático: Cap.12, módulo III  p 176 e p 177 )

• O Brasil Colonial – Brasil e África enriquecem Portugal
- a lavoura canavieira (Livro Didático: Cap. 16, módulo I  p 234 e 235)
- o comércio colonial entre os séculos XVI e XVII; a participação dos holandeses (Livro Didático: Cap. 16, módulo II  p 236 e 237 )
- a África e o comércio de escravos (Livro Didático: Cap. 16módulo III  p 238 e 239)
- a vida do escravo no Brasil (Livro Didático: Cap. 16, módulo IV  p 240 e 241)


BOM ESTUDO
E
BOA PROVA! 

segunda-feira, 5 de dezembro de 2016

E não é que o tema da redação da reaplicação do ENEM também é nosso velho conhecido???

   Pois é... Ontem, no segundo dia de reaplicação do ENEM, a prova de redação teve como tema "Caminhos para combater o racismo no Brasil" e sim, mais uma vez, falou sobre um assunto amplamente discutido nas aulas de História desde o 6º ano no CPII do Engenho Novo II.

  Compare a folha de prova do ENEM (clicando AQUI, você irá para a matéria do G1 que traz várias informações sobre o ENEM de ontem -- inclusive a página da prova com a proposta de redação) e também os "textos motivadores" (sim, não é apenas nas minhas provas que há textos motivadores, não... Isso também ocorre no ENEM!) com duas provas de História do 6º ano: uma de 2012 e outra do ano passado.   





E aí, o que achou de mais essa coincidência???

segunda-feira, 7 de novembro de 2016

Ainda sobre a redação do ENEM/2016...


Como já disse, falamos sobre a importância da liberdade religiosa (e o quanto a humanidade já sofreu por conta da intolerância) em nossas aulas desde o 6º ano até hoje, no 7º – e, certamente, esse assunto estará presente nos demais que você terá pela frente, com outros professores...
Porém, uma aluna me lembrou que, além das discussões em sala de aula, na primeira certificação deste ano, também tivemos uma questão que abordou este tema... Foi quando falamos das Cruzadas, lembra? Fizemos até um paralelo sobre um atentado terrorista nos EUA, provocado por fundamentalistas religiosos, e uma certa declaração de um certo presidente norte-americano...


Imagem e autoria próprias

Liberdade Religiosa e ENEM/2016

Porque no Colégio Pedro II, tolerância religiosa, ou melhor, liberdade religiosa é assunto discutido nas aulas, pelo menos, desde o sexto ano. Até tema de prova já foi...
Mesmo ainda no 7º ano, acho que você se daria muito bem na redação do ENEM... Pode crer! 😉


Imagem e autoria próprias

Tema de redação do ENEM deste ano é nosso velho conhecido...

   Aí, pessoal do 7º ano do CPII-Engenho Novo, mesmo ainda faltando uns 5 anos para vocês participarem do ENEM – partindo de tudo o que a gente discute nas aulas desde o ano passado –, acho que teriam bastantes argumentos nessa redação, hein? 😉

terça-feira, 20 de setembro de 2016

Especialmente para a 701... "Navio Negreiro"

   
Cena do filme Amistad, de Steven Spielberg, de 1997
(www.mariapreta.org)

   Apesar de eu ter prometido esse vídeo na aula de hoje para a 701 (e eles sabem muito bem o porquê...), na verdade essa postagem serve para todo o sétimo ano.  

   Na época em que a professora Carolina, hoje coordenadora de História do nosso campus, tinha um blog para o sétimo ano, ela sempre fazia essa postagem para seus alunos -- aliás, não tinha como deixar de fazer...

   "Todo ano, faço questão de mostrar aos alunos o vídeo abaixo. Extraído do filme 'Amistad' feito em 1997 por Steven Spielberg, o trecho mostra o processo doloroso do comércio de gente promovido durante séculos por africanos, europeus e americanos. Nele temos, de uma forma didática, toda a dor e desumanização de uma parcela de africanos que eram capturados por tribos e reinos rivais, ainda em África, e depois vendidos e revendidos várias vezes até que chegavam para o trabalho árduo aqui na América. 
   Para enriquecer mais ainda as imagens, temos ao fundo a leitura majestosa feita por Paulo Autran, um dos maiores atores brasileiros, do poema 'Navio Negreiro', escrito em 1869 por Castro Alves -- o que torna esta montagem realmente emocionante.  
   As cenas são fortes, porém necessárias. Porque mais forte ainda foi a realidade... Não tenha a menor dúvida disso." (Trecho adaptado de Blog de Historia do 7º ano) 

O vídeo segue abaixo.

Procure ficar atento às imagens do filme Amistad e à narração do poema de Castro Alves, feita por Paulo Autran.

(E lembre-se que, apesar de o filme ser uma obra de ficção, essas e muitas outras atrocidades realmente aconteceram com os africanos trazidos à América.)