quinta-feira, 11 de setembro de 2014

Roteiro de estudo para a prova do dia 20 de setembro



·     Final do Neolítico – nascimento das cidades – Cap. 4

A agricultura e a criação de gado: *
 - o homem como um produtor, em vez do mero predador de antes;
 - a criação de utensílios e técnicas e o aumento da produtividade;
 - a produção do excedente  e o surgimento do comércio;
 - a importância da metalurgia.

O processo de sedentarização: *
 - o pleno desenvolvimento da agricultura e da domesticação de animais;
 - a especialização do trabalho;
 - a diferenciação social;
 - o poder político centralizado;
 - o exército profissional;
 - a arquitetura sólida;
 - enfim, a vida sedentária;
  ou seja, os elementos que definem uma cidade.



·     Mesopotâmia – Cap. 5 *

Os poderes do rei antigo:

 - a Babilônia de Hamurábi e seu código de leis (a sociedade; a lei de talião) *

A servidão coletiva *

O politeísmo *

As monarquias teocráticas *

Obs.: A escravidão - existia, mas os escravos eram poucos.



·     Antigo Egito – Cap. 6 *

Uma dádiva do Nilo e trabalho coletivo*

 - as técnicas de controle do meio ambiente (a abertura de canais de irrigação e a construção de diques, por exemplo)

O faraó como governante supremo, o poder central

A sociedade egípcia, diferenciada e hierarquizada:
 - as poucas chances de ascensão social: o ofício de escriba

O porquê da mumificação *

O significado do trabalho para os egípcios antigos

A crença na vida após a morte influências na vida ANTES da morte *

A servidão coletiva

O politeísmo * 

A teocracia *

Obs.: A escravidão - existia, mas os escravos eram poucos.

ATENÇÃO: Estudar pelo livro, pelo caderno e aqui pelo blog, principalmente onde houver a marcação * (Cada asterisco é um link para uma postagem correspondente ao assunto, basta clicar nele!). 


BOM ESTUDO E BOA PROVA!

Imagens: arquivo pessoal


Vídeo: "O Egito Antigo" / 3ª edição

   Essa postagem serve como um reforço nos estudos sobre o Egito Antigo para a avaliação deste 2º trimestre. Trata-se de um vídeo, hospedado no YouTube, dividido em duas partes, do programa "Novo Telecurso - Ensino Médio", da Rede Globo. Há algumas (poucas) partes que nós não vimos nas aulas (como detalhes sobre a unificação dos nomos e os períodos do Império e do Baixo Império - são apenas curiosidades e, claro, não serão abordadas nas provas). Ah, e o mito de Osíris também está diferente: como  já conversamos, quando se trata de mitos e lendas, há sempre várias versões... Mas, no geral, está tudo muito bom. Então, aproveite! 

Primeira parte:



Segunda parte:



Fonte: Rede Globo / YouTube

terça-feira, 9 de setembro de 2014

Para quem quiser ainda mais detalhes sobre a mumificação... - 4ª edição

Vasos canopos (ou canópicos)
Neles eram guardados, respectivamente, 
os intestinos, o estômago, os pulmões e o fígado do morto

Site da imagem: asb.rio.nom.br 

     E aí, quer mais detalhes sobre a mumificação? Clique no link Aventuras na História e conheça os seis passos do processo que podia levar até setenta dias para ser concluído. 

"Anatomia de uma múmia" (5ª edição adaptada) - com o INTERATIVO em que você conduzirá o embalsamamento de um corpo, tal como ocorria no Egito Antigo

Anúbis 
(deus com cabeça de chacal protetor das múmias)
Site da imagem: hist7alfandega.blogspot.com (10/09/10)

    Nas aulas de hoje (para as turmas 601 e 602 - com as demais turmas, será na quinta-feira, dia 11), vimos que nas tumbas dos egípcios antigos (os das camadas mais privilegiadas), poderiam estar guardados objetos do dia-a-dia, bebida e comida, roupas, armas, joias, mobília, além dos papiros funerários, hoje conhecidos como "Livro dos Mortos". Tudo isso nos revela muitas informações sobre como era a vida no Egito Antigo e constitui importantíssimos documentos desta época

   Já as pessoas comuns, que não faziam parte dos privilegiados, poderiam ser mumificadas desde que pudessem pagar por isso, só que todo o processo seria bem mais simples. A maioria da população, contudo, era sepultada em covas rasas cavadas no deserto.  

   Nesta postagem você encontrará um material interessantíssimo, produzido pelo Discovery Brasil, que trata da reconstituição de uma tumba, com seus possíveis conteúdos originais. Como modelo, foi escolhida a de Menna - um oficial que viveu durante o reinado de Tutmés IV (1400 - 1390 a.C.) ou de seu sucessor, Amenhotep III -, localizada na margem  ocidental do rio Nilo, em Luxor.

Mas atenção ao acessar o link, pois, para que você aproveite todo o conteúdo, deverá observar que há três etapas: - capela, a tumba e a múmia:   

  • Ao clicar nas paredes da "capela", você aprenderá sobre as crenças dos egípcios antigos
  • Ao entrar na "tumba"verá como e com quais objetos eram enterrados os mortos
  • Finalmente, ao chegar na "múmia"participará do processo de embalsamamento. ATENÇÃO! Conforme falei na aula, é neste momento que você conduzirá o embalsamamentoatravés do interativo que descreve todo o processo. 

   Observe atentamente toda a variedade de itens que deveriam acompanhar este homem em sua morte ou, como acreditavam, em sua vida eterna...


PARA IR ATÉ "ANATOMIA DE UMA MÚMIA", BASTA CLICAR AQUI.


Vamos lá, aproveite!
(E depois me conte como foi...)

quinta-feira, 4 de setembro de 2014

"A Maldição de Tutankamon" - Discovery Channel / 4ª edição


    Conforme prometi para a 603 no sábado e para a 606 na aula de hoje, logo abaixo está o documentário do Discovery Channel"A Maldição de Tutankamon".

    Sei que vocês tendem a se interessar mais pelo lado da "maldição" (eu sei, eu sei, já tive a idade de vocês e também gostava destas coisas...), mas procurem aproveitar também para acompanhar como foi (e o que foi) a incrível descoberta do túmulo deste faraó - o ÚNICO encontrado praticamente intacto.
   
    Ah, e depois de assistir, não esqueça de me contar o que achou...


Essa é especialmente para que gosta de ler: "O DNA do faraó Tutankhamon" - 3ª edição


 "Quaisquer que fossem os defeitos de Tut, a imagem que nos legou é de uma perfeição resplandecente - acima, a sua emblemática máscara funerária feita de ouro, metal considerado pelos antigos egípcios como a carne dos deuses."

 

Exames de DNA revelam a verdade sobre os pais do faraó-menino e novas pistas de sua morte prematura

 

   "Um ataúde de ouro sólido, pesando cerca de 110 quilos, abriga os restos mortais mumificados do faraó Tutankhamon."

    "Filho de uma união entre irmãos, o faraó sofria de uma má-formação congênita no pé e de uma doença óssea que lhe dificultavam a locomoção. O casamento endogâmico pode ter causado a deformidade e até mesmo impedido que tivesse herdeiros com a esposa." 
 (Por Zahi Hawass - autoridade mundial em Egiptologia)


Para ler toda a matéria, acesse: National Geographic Brasil


UM POUCO MAIS SOBRE O REI TUT:


Perspectiva da tumba
Site da imagem: culturegipcia.es



Sarcófagos - estes são réplicas  
Os originais têm mais de 100 kg em ouro maciço.
Havia, ao todo, três em sua tumba - do menor para o maior, um dentro do outro. A múmia ficava, claro, dentro do menor deles. Sobre a cabeça da múmia estava a máscara mortuária.
(clique na imagem para vê-la com mais detalhes)
Site da imagem: panoramio.com 



A belíssima máscara mortuária - vista lateral
Site da imagem: historiadaarte2009

O mito que fortalecia a teocracia egípcia - 4ª edição atualizada

O Tribunal de Osíris
(Analisado nas aulas desta semana...)
Site da imagem: palavreado.com.br

   Para entender a antiga civilização egípcia, vimos que é necessário, antes de tudo, conhecer um pouco da mentalidade do povo que a construiu e, para tal, nada melhor que conhecer a sua mitologia

    Nas aulas do sábado passado, analisamos o mito de Osíris, simbolicamente associado às cheias anuais do Nilo, que fertilizam o solo do Egito: ele representa o retorno da vida após o período da seca. Da mesma forma, a gravidez de Ísis, fecundada pelo marido morto, remete à ideia da morte dando origem à vida. Na dualidade "bem X mal", em oposição ao bom e sábio Osíris, temos o seu irmão mau e invejoso Set, associado ao deserto e à ausência de vida. Por fim, Hórus, o filho póstumo de Osíris e Ísis, concebido para vingar a morte de seu pai e proteger a humanidade das maldades de Set, toma posse do trono dos vivos, encarnado na pessoa do faraó. 

     Política e religião se fundem: o faraó era o deus vivo, substituto do pai no governo dos homens na Terra. Protetor do povo das maldades de Set, deveria ser amado e respeitado. Eis a teocracia egípcia.

    Bom, mas todo este papo de deuses deixou em muitos alunos um "gostinho de quero mais"...
    Atendendo a pedidos, o link abaixo trata destes e alguns outros deuses egípcios:

quarta-feira, 27 de agosto de 2014

EXPOSIÇÃO "SEGREDOS DO EGITO"

Imagem: blog.morumbishopping.com.br/

      Aproveitando que neste sábado começarão as nossas aulas sobre o Egito Antigo, que tal uma exposição sobre o tema? E, ainda por cima, gratuita? 
    Então... "Segredos do Egito" é uma mostra que reúne mais de 140 peças, como múmias, sarcófagos, esculturas, joias, enfim. 

Local: BarraShopping / Praça Lounge Mais - Portaria I
Período: 25 de agosto de 2014 a 21 de setembro de 2014

EXPOSIÇÃO GRATUITA!

Para mais informações, clique em BarraShopping - Segredos do Egito 

Ou ainda, clicando na imagem abaixo, você irá até o site da exposição, onde poderá, inclusive, fazer seu avatar egípcio e baixar wallpapers para o seu computador.



quarta-feira, 20 de agosto de 2014

O Egito hoje - galeria de fotos (3ª edição)

Cidade do Cairo

E como está o Egito nos dias atuais?

    O Egito é um dos países mais populosos da África. A grande maioria dos habitantes ainda vive nas margens do rio Nilo, praticamente a única área não desértica do país. Devido à aridez do seu território, mais de 90% da população ocupam um pouco mais de 5% da sua superfície total.   

     O Egito é uma república, cuja maioria da população é islâmica, e tem o turismo como uma das atividades econômicas principais. 

    No link viajeaqui.abril, você encontrará imagens belíssimas deste país na atualidade.

Curiosidades sobre o Saara (4ª edição)

   O Deserto do Saara é o maior deserto quente do mundo e, oficialmente, é o segundo maior da Terra, logo após da Antártida (que também é um deserto). Localizado no Norte da África, tem uma superfície total de 9 milhões e 65 mil km² - área equiparável à da Europa inteira, assim como à dos Estados Unidos, e maior que a de muitos países continentais tais como Brasil, Austrália e Índia. 
    O nome Saara é uma transliteração da palavra árabe صحراء que, por sua vez, é a tradução da palavra tuaregue tenere (deserto). O deserto do Saara compreende parte dos seguintes países e territórios: Egito, Argélia, Burkina Faso, Chade, Líbia, Marrocos, Saara Ocidental, Mauritânia, Mali, Níger, Senegal, Sudão e Tunísia.
(Texto adaptado de: wikipédia.org
Site da imagem: astronoo.com)

Um pouco mais do Saara
Embora sejam das regiões mais áridas, 
eis algumas das imagens mais belas:


(curiosidadeseculturas.blogspot.com)


(meumundoviajando.blogspot.com)



(iplay.com.br)



(mundoeducação.com.br)