sexta-feira, 17 de outubro de 2014

Os meus livros preferidos sobre Grécia Antiga (e sua mitologia) - 3ª edição (adaptada)

   Como tantos alunos adoram a mitologia grega, resolvi pesquisar edições atuais dos livros nos quais aprendi, de maneira mais divertida, o que sei sobre o assunto.

    Os meus livros preferidos são de uma edição bem velhinha, da Editora Brasiliense, de 1973... Eles fazem parte de uma coleção: "Monteiro Lobato - Obras Completas" e são, sem dúvida alguma, alguns dos melhores livros que já li, mesmo tendo passado tantos anos, e lido tantos outros livros. 

    Na primeira vez que li Monteiro Lobato, tinha menos idade que vocês e, até depois da adolescência, foram várias as vezes em que reli. E sempre com o mesmo prazer durante a leitura e a mesma pena quando o livro acabava... Pois é, sou apaixonada por Monteiro Lobato. Fã, mesmo. Com certeza, foi ele quem despertou em mim o gosto pela leitura. Depois, vieram Machado de Assis, Gabriel García Márquez, José Saramago... Bom, mas aí já é outra história...

    Eis as edições atuais, ambas da Editora Globo: 


Os Doze Trabalhos de Hércules

    Nestas páginas recheadas de aventuras e perigos, vamos encontrar a turma do Sítio do Picapau Amarelo em uma viagem através do tempo. 
    Escondidos da avó, que fica em casa com crise de reumatismo, sob os cuidados da neta, Pedrinho, Emília e o Visconde de Sabugosa voam até a Grécia Antiga para ajudar um dos mais populares heróis da mitologia clássica. Vão acompanhar de perto as façanhas de Hércules, condenado pelo rei Euristeu a executar doze tarefas dificílimas até para um semideus como ele. Para terminar os trabalhos, Hércules terá de unir sua força gigantesca com a esperteza da boneca Emília, a “dadeira de ideias”, com a inteligência de Pedrinho, seu “oficial de gabinete” e com a sabedoria do Visconde, seu fiel escudeiro.

    Através das viagens que os personagens do sítio empreendem com Hércules, Lobato não conta só os doze trabalhos, como também os principais e mais belos trechos da mitologia grega, em uma linguagem apropriada para crianças e com uma riqueza de detalhes raramente encontrada em outros livros, mesmo para adultos.



O Minotauro 
  
    Ninguém chamou mais a atenção de Dona Benta naquela festa do que um jovem de nariz feio. A sábia senhora, matriarca do Sítio do Picapau Amarelo, encontrava-se emocionada diante de ninguém menos do que o jovem Sócrates, em pessoa, o mesmo que viria a se tornar um dos maiores filósofos de todos os tempos. Enquanto a avó e sua neta Narizinho frequentavam os elegantes salões atenienses do século de Péricles; Emília, Pedrinho e o Visconde de Sabugosa se envolviam numa aventura com os semideuses e as criaturas mitológicas da Grécia Antiga. Mas, afinal, o que o pessoal do Sítio estava fazendo tão longe do Vale do Paraíba e tantos milênios no passado? Óbvio! Eles foram até lá para salvar Tia Nastácia, que havia sido raptada por monstros no casamento da Branca de Neve enquanto se distraía com o cozimento de mil faisões... Será que eles vão conseguir trazê-la de volta?

(Fonte das sinopses: Site da Livraria da Travessa)
     

   Ah, não pude resistir: na foto abaixo, estão as minhas edições, antiguinhas, antiguinhas (com direito a sombra minha na foto)...





        Acima, ilustração (belíssima), de Manoel Victor Filho, dos deuses gregos.
    Só que esta é de um outro livro da minha coleção, "História do Mundo para as Crianças", p. 25 (que traz dois capítulos sobre a Grécia Antiga: "Os deuses gregos" e "A Guerra de Troia"). Na ilustração, aparecem:    
>  Zeus: "pai de todos e o mais poderoso. Sentava-se num trono com uma águia aos pés, tendo na mão um raio, isto é, um ziguezague de fogo. Quando queria vingar-se de alguém, arremessava este raio, seguido de um trovão." 
> Posseidon: "irmão de Zeus que governava os mares num carro carro puxado por uma parelha de cavalos-marinhos, tendo na mão o tridente."  
> Hefesto: "o deus do fogo. Era um ferreiro manco, que trabalhava numa oficina dentro da Terra."
> Hermes: "o mensageiro dos deuses, o leva-e-traz. Tinha asas no capacete e usava uma vara mágica de paz, que posta entre duas pessoas em luta imediatamente as fazia amigas."
> Ártemis: "irmã gêmea de Apolo, deusa da Lua e das caçadas."
> Atena: "a deusa da sabedoria, que nasceu dum modo muito especial. Zeus teve uma dor de cabeça horrível, que não passava com aspirina nenhuma. Desesperado, chamou Hefesto para que lhe rachasse a cabeça com um golpe de malho. Hefesto obedeceu; mas em vez de ficar a cabeça de Zeus em papas, deixou escapar, armada de escudo e lança, sua filha Atena."
> Eros: filho de Afrodite, "habilíssimo em flechar corações com flechas invisíveis." 

A Grécia hoje - imagens e outras informações (3ª edição)

Santorini, Grécia 
(Site da imagem: viagemafora.blogspot.com)

   "A ilha deve o seu nome a Santa Irene, nome pelo qual os venezianos a denominavam. Era anteriormente  conhecida por Kallístē (em grego Καλλίστη, "a mais bela"), Strongýlē (Στρογγύλη, "a circular") ou Thera (Θήρα), nome que ainda hoje ostenta em grego. Para além da ilha principal, Santorini tem nas suas proximidades diversos ilhéus, formando um grupo quase circular de ilhas, vestígio da grande erupção que despedaçou a ilha. [...] O impacto daquela erupção fez-se sentir em toda a Terra, mas com particular intensidade na bacia do Mediterrâneo. A erupção parece estar ligada ao colapso da Civilização Minoica na ilha de Creta, distante de Santorini 110 km ao sul. Acredita-se que tal cataclismo tenha inspirado as posteriores lendas acerca de Atlântida." 
(Fonte: wikipedia.org)


Para mais imagens da Grécia na atualidade, clique no link: tripadvisor.

    
    
Vista do Partenon na Acrópole de Atenas
(Site da imagem: wikipedia.org)

    "A Grécia é um dos berços da civilização europeia. Aos seus pensadores da Antiguidade devem-se grandes progressos nos domínios da filosofia, da medicina, da matemática e da astronomia. As cidades-Estado gregas foram pioneiras do desenvolvimento das formas de governo democrático. O patrimônio histórico e cultural da Grécia continua a repercutir-se no mundo moderno nos campos da literatura, arte, filosofia e política." (EUROPA - O portal oficial da União Europeia)

Para mais informações sobre a Grécia na atualidade, clique AQUI.

domingo, 12 de outubro de 2014

Algumas informações sobre as sinagogas - 3ª edição

Kahal Zur Israel  
(Congregação Rochedo de Israel)
Recife - PE
Foi a primeira sinagoga da América. 
A fachada do prédio data do século XIX e, atualmente, abriga o 
Centro Cultural Judaico de Pernambuco.
Fonte: wikipedia.org 


   Durante a greve de 2011, muitos alunos pediam, via comentários, que eu postasse mais informações sobre os judeus, último assunto estudado até então. Alguns até me enviaram links para sites que tratam do tema, como fez a Diovana, da 902 (na época, 602):

"...achei um post em um site que falava sobre as sinagogas e coisas ligadas a elas, como os objetos utilizados nos rituais e as pessoas que têm ligações ou participam (o Rabino, o Chazan, o Zelador e o Gabai). Inclusive, nesse mesmo post, achei, lá no finalzinho, a imagem, não a mesma [do livro], ...do Muro das Lamentações."

Abaixo, segue o link, para uma página do site da  
Associação Israelita de Beneficência Beit Chabad do Brasil
enviado por ela:



Mais uma vez, obrigada pela contribuição, Diovana!

sexta-feira, 10 de outubro de 2014

Conforme prometido, eis o vídeo sobre o conflito Israel X Palestina


Abaixo, a professora Arlene Clemesha, do Curso de História Árabe da USP, nos dá muitos esclarecimentos sobre os conflitos entre judeus e palestinos, desde o final do século XIX, quando surgiu o movimento sionista, que buscava acabar com a diáspora (ou diásporas) que levou os judeus à dispersão por todo o mundo e fazer com que estes voltassem ao território do atual Estado de Israel. 




Site da imagem: www.upf.br

segunda-feira, 29 de setembro de 2014

E mais uma vez, atendendo a muitos pedidos, mais informações sobre a CIRCUNCISÃO - ou "berit milá" - 4ª edição


Material utilizado em uma cerimônia de berit milá 
exibido no museu da cidade de Göttingen (Alemanha)
(site da imagem: wikipedia.org)

E disse Deus a Abraão: “Eu te farei pai de um grande povo e te abençoarei. O meu pacto eterno contigo será: que eu seja o teu Deus e o da tua descendência. E eu te darei a terra de Canaã. Em sinal dessa aliança, todos os homens entre vós serão circuncidados.”
Bíblia, Antigo Testamento, Gênesis, 17

     Muitos alunos quiseram mais informações a respeito da cerimônia religiosa judaica da circuncisão, ou "berit milá", na qual o recém nascido junta-se ao povo judeu.  É nesta cerimônia, símbolo da aliança entre Deus e o povo de Israel, que o menino recebe seu nome. 

       Então, aí vai o link:


Fonte: chabad.org.br

Agora, os SOBRENOMES JUDAICOS... - 3ª edição

Schwartz                 Blat                        Weiss
                
Berg              Kupfer              Gross            Schneider    
  
 Fischer                 Rosenberg                  Bloch

    
   Podem estar relacionados a cores, metais, pedras preciosas, características físicas, ofícios, enfim...

   Quer conhecer o significado (e até um pouquinho da história) destes e de outros sobrenomes judaicos? É só clicar AQUI .



Ah, dê uma olhada nesse trecho da matéria (copiado e colado abaixo) e depois me diga o que achou! 

  Existem muitas histórias de mudanças dos sobrenomes. Durante as conversões forçadas na Espanha e em Portugal, muitos judeus se converteram, adotando novos sobrenomes, que as paróquias escolhiam para os "cristãos novos", como, Salvador ou Santa Cruz


  Mais tarde, ao fugir para a Holanda, América ou ao Império turco, voltaram à religião judaica, sem perder seu novo sobrenome. Assim apareceram sobrenomes como Diaz ou Dias, Errera ou Herrera, Rocas ou Rocha, Marias ou Maria, Fernandez ou Fernandes, Silva, Gallero ou Galheiro, Mendes, Lopez ou Lopes, Fonseca, Ramalho, Pereira e toda uma série de denominações de árvores frutíferas (Macieira, Laranjeira, Amoreira, Oliveira e Pinheiro). Ou ainda de animais como CarneiroBezerra, Lobo, Leão, Gato, Coelho, Pinto e Pombo.


  Outra mudança de sobrenomes foi causada pelas guerras. As pessoas perderam ou quiseram perder seus documentos e se "conseguia" um passaporte com sobrenome que não denunciava sua origem, para cruzar a salvo uma fronteira. Nos fins do século XIX, o Czar da Rússia exigia 25 anos de serviço militar obrigatório, especialmente dos judeus. Muitos imigrantes fugiram da Rússia e da Ucrânia com passaportes mudados para evitar uma vida dedicada ao exército do Czar.

  Outra questão é que somos filhos de imigrantes, e muitos sobrenomes se desfiguraram com a mudança de país e de idioma. Às vezes eram os funcionários da Alfândega ou da Imigração, outras o próprio imigrante que não sabia espanhol, ou escrevia mal. Por isso, muitos integrantes da mesma família têm sobrenomes similares em som, mas escritos com grafia diferente.


E aí, encontrou o sobrenome de alguém que você conheça?

Fonte: chabad.org.br

OS NOMES JUDAICOS


Gabriel        Tamarah        Adelle        Ariel        Zac           

     Samuel        Rafael        Phineas        Nathan     

Deborah           Daniella, Daniela, Danielle             

David        Jennifer        Ruth        Jonathan         Joel      

Hannah            Daniel           Alex, Alexandre   

      Rachel            Gabriela, Gabriella, Gabrielle         Caleb


    Para os judeus, nomear um recém-nascido é algo sagrado. E meninos recebem o seu nome em ocasião diferente das meninas
      A escolha do nome pode ser uma homenagem a um parente e a sua repetição ao longo das gerações, uma garantia de que não seja esquecido. 
      Os nomes podem ser bíblicos, remeter à natureza, ser nome de anjos, enfim.

     Clique AQUI e saiba mais sobre como se dá a escolha de um nome judaico.

     E, logo no final do texto, você encontrará outros links para sugestões (e signifiacado) de nomes judaicos masculinos femininos.  

        De repente, até o seu está lá...



(O site utilizado nessa postagem foi um achado da Diovana - ex 602/2011, atual 902. Mais uma vez, obrigada, Diovana!)


             Fonte: site da  Associação Israelita de Beneficência Beit Chabad do Brasil  

A religião monoteísta mais antiga: o judaísmo - 2ª edição

Site da imagem: http://comjudaicabh.wordpress.com/simbolos-judaicos/
"Torá, ou a Bíblia hebraica, que é chamada pelos cristãos de Velho Testamento, reúne especialmente os cinco primeiros livros da Bíblia,[...] o chamado Pentateuco. Pelo menos uma cópia da Torá, em hebraico, é guardada em cada sinagoga em forma de pergaminho."

   "O judaísmo é a mais antiga das quatro religiões monoteístas do mundo e a que tem o menor número de fiéis. Ao todo são cerca de 12 a 15 milhões de seguidores. Segundo analistas, se não houvesse o Holocausto - matança em massa de judeus, ocorrida entre as décadas de 30 e 40 no século XX -, o número de judeus seria de 25 a 35 milhões em todo o mundo. E muitos  deles viveriam na Europa."

    "Os judeus vivem sob um pacto com Deus, segundo eles, não para benefício  próprio, mas para o benefício de todo o mundo. O grande estudioso do judaísmo Hillel (que viveu entre 70 a.C e 10d.C) resumiu assim o significado da religião: Não faça a seu próximo aquilo que não gostaria que fosse feito a você. Esse é o centro da lei judaica, o resto são meras observações."

    "O judaísmo é uma religião da família. Os judeus se consideram parte de uma comunidade global com laços estreitos com outros judeus. Grande parte da fé judaica é baseada nos ensinamentos recebidos no lar e nas atividades em família."

Princípios dos judeus em relação a Deus:

  • Judeus devem adorar somente um Deus e não outros deuses.

  • Deus é transcendental, está acima de qualquer coisa.

  • Deus não tem um corpo, ou seja não é masculino, nem feminino.

  • Ele criou o universo sem ajuda.

  • Deus é onipresente e onipotente.

  • Deus é atemporal. Sempre existiu e sempre vai existir.

  • Deus é justo, mas também é misericordioso.

  • Ele é um Deus pessoal e acessível. Deus se interessa por cada um  

  • individualmente, ouve a todos individualmente e fala com as 
    pessoas das


    mais diferentes e surpreendentes formas.

    Para ler a matéria completa, é só clicar AQUI .

    Fonte: noticias.terra.com.br

    quinta-feira, 11 de setembro de 2014

    Roteiro de estudo para a prova do dia 20 de setembro



    ·     Final do Neolítico – nascimento das cidades – Cap. 4

    A agricultura e a criação de gado: *
     - o homem como um produtor, em vez do mero predador de antes;
     - a criação de utensílios e técnicas e o aumento da produtividade;
     - a produção do excedente  e o surgimento do comércio;
     - a importância da metalurgia.

    O processo de sedentarização: *
     - o pleno desenvolvimento da agricultura e da domesticação de animais;
     - a especialização do trabalho;
     - a diferenciação social;
     - o poder político centralizado;
     - o exército profissional;
     - a arquitetura sólida;
     - enfim, a vida sedentária;
      ou seja, os elementos que definem uma cidade.



    ·     Mesopotâmia – Cap. 5 *

    Os poderes do rei antigo:

     - a Babilônia de Hamurábi e seu código de leis (a sociedade; a lei de talião) *

    A servidão coletiva *

    O politeísmo *

    As monarquias teocráticas *

    Obs.: A escravidão - existia, mas os escravos eram poucos.



    ·     Antigo Egito – Cap. 6 *

    Uma dádiva do Nilo e trabalho coletivo*

     - as técnicas de controle do meio ambiente (a abertura de canais de irrigação e a construção de diques, por exemplo)

    O faraó como governante supremo, o poder central

    A sociedade egípcia, diferenciada e hierarquizada:
     - as poucas chances de ascensão social: o ofício de escriba

    O porquê da mumificação *

    O significado do trabalho para os egípcios antigos

    A crença na vida após a morte influências na vida ANTES da morte *

    A servidão coletiva

    O politeísmo * 

    A teocracia *

    Obs.: A escravidão - existia, mas os escravos eram poucos.

    ATENÇÃO: Estudar pelo livro, pelo caderno e aqui pelo blog, principalmente onde houver a marcação * (Cada asterisco é um link para uma postagem correspondente ao assunto, basta clicar nele!). 


    BOM ESTUDO E BOA PROVA!

    Imagens: arquivo pessoal


    Vídeo: "O Egito Antigo" / 3ª edição

       Essa postagem serve como um reforço nos estudos sobre o Egito Antigo para a avaliação deste 2º trimestre. Trata-se de um vídeo, hospedado no YouTube, dividido em duas partes, do programa "Novo Telecurso - Ensino Médio", da Rede Globo. Há algumas (poucas) partes que nós não vimos nas aulas (como detalhes sobre a unificação dos nomos e os períodos do Império e do Baixo Império - são apenas curiosidades e, claro, não serão abordadas nas provas). Ah, e o mito de Osíris também está diferente: como  já conversamos, quando se trata de mitos e lendas, há sempre várias versões... Mas, no geral, está tudo muito bom. Então, aproveite! 

    Primeira parte:



    Segunda parte:



    Fonte: Rede Globo / YouTube